quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Meu primeiro diário

Meu primeiro diário

Começou num caderno de "Economia doméstica" que ficou pela metade seja porque a professora da matéria sumiu ou sumiram com ela, ou eu matei as aulas ou a professora, não sei. No final da ultima coisa que eu copiei da lousa ou da Enciclopédia Barsa, tanto faz, eu escrevi: "Sem comentarios, não dá".
Eu ainda não tinha quinze anos. Tinha uma caneta tinteiro de estimação, e nas noites calorentas e aborrecidas eu escrevia qualquer abobrinha que escapasse do meu senso crítico. Assim, na pura liberdade de expressão. Ninguém ia ler mesmo.Quero registrar aqui uma "pérola" de adolescente dentre tantas que colhi ao reler o caderninho de capa dura todo desenhado, rabiscado, escrevinhado. Depois de muito reclamar do tédio, dos idiotas, do calor e da ignorância humana eu escrevi : "Eu sou um problema cercado de ajuda por todos os lados".


Este desenho de Lavina Verdolaga parece ter sido feito sob encomenda para este texto pois acrescenta de forma visual o que esta implícito. O olhar ansioso perdido no horizonte, cercada pela ajuda em que quase me afogo a cada nova maré alta. No dia em que quebrei este paradigma deixei de ser um problema. Pelo menos pra mim. Nada sei com relação aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os anjos acreditam em você!